sexta-feira, 1 de maio de 2015

O desafio de administrar Pedras Altas!! A atual administração municipal, completou apenas 01 ano.

Por: Juliana Sanchesjuliana@diariopopular.com.br

Tunes tem como principal desafio quitar dívidas até o meio do ano para liberar projetos travados 
Poste de energia elétrica no meio da ERS 608, principal via de acesso a Pedras Altas; empresa responsável pelo asfaltamento da rodovia abandonou as obras após atual governo do Estado deixar de repassar recursos (Foto: Paulo Rossi - DP)
Poste de energia elétrica no meio da ERS 608, principal via de acesso a Pedras Altas; empresa responsável pelo asfaltamento da rodovia abandonou as obras após atual governo do Estado deixar de repassar recursos (Foto: Paulo Rossi - DP)
Pedregulhos são vistos na ERS 608, principal via de acesso ao município de Pedras Altas; pavimentação foi interrompida no final do ano passado (Foto: Paulo Rossi - DP)
Pedregulhos são vistos na ERS 608, principal via de acesso ao município de Pedras Altas; pavimentação foi interrompida no final do ano passado (Foto: Paulo Rossi - DP)
Lidar com o inchaço da máquina pública, o sucateamento dos equipamentos e a falta de informação na central de projetos foram os principais desafios do primeiro ano de mandato do prefeito de Pedras Altas (localizada a 142 quilômetros de Pelotas), Fábio Tunes (PSDB).
Ao assumir, em 5 de maio de 2014, o chefe do Executivo encontrou inúmeras pendências financeiras com fornecedores e uma prefeitura inscrita no Cadastro Informativo de crédito não quitado (Cadin), o que inviabiliza o acesso a determinados recursos e convênios. Reverter esta situação de restrição continua sendo a principal demanda para 2015. A expectativa do gestor é quitar as dívidas até o meio deste ano para liberar os projetos travados.
Os outros 21 quilômetros, até o município dePinheiro Machado, permanecem intocados. As placas de "homens trabalhando" continuam espalhadas em dois pontos, mas não há sinal de operários e nem maquinário. Desde o final do ano, a empresa abandonou os trabalhos nos 36 quilômetros da estrada devido ao atraso no pagamento de R$ 500 mil por parte do governo estadual. Em meio à poeira e um pequeno trecho asfaltado, um poste de energia elétrica no meio da rodovia e com sinalização precária, compõe o cenário e provoca insegurança aos motoristas, principalmente à noite.Outro problema, que independe da administração municipal, mas deve merecer o esforço do prefeito no sentido de acelerar as obras, é o asfaltamento da ERS-608, que se arrasta desde janeiro de 2010 e torna inviável o acesso ao município. De lá para cá, ocorreram diversas paralisações. Apenas os primeiros 12 quilômetros receberam a primeira camada asfáltica mas, em consequência das várias paralisações, o asfalto se desintegrou e o trecho se encontra completamente esburacado e perigoso.
A obra é um limitante para a atividade agropecuária do município, prejudicando o escoamento da produção de soja, arroz e pecuária. Pelo menos 900 produtores rurais, a grande maioria pequenos e médios, utilizam esta rodovia. Além disso, o município possui três assentamentos, onde estão fixados em torno de 300 pequenos produtores, que possuem uma bacia leiteira forte, inclusive com a produção de queijo.
Em março, Tunes esteve no Departamento Autônomo de Estradas e Rodagens (Daer) para tratar da demanda e recebeu a garantia de que, a partir deste mês até abril de 2016, serão repassados R$ 800 mil mensais para prosseguir a obra. A Diretoria de Infraestrutura Rodoviária do Daer confirmou as informações e explicou que a ERS-608 está entre os 56 acessos municipais a serem contemplados em um programa com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES). Desses, 31 devem ser concluídos até dezembro de 2016 - entre os quais está a rodovia. No momento, a autarquia está finalizando o cronograma de desembolso a ser firmado com a empreiteira.
Segundo o Daer, o contrato de pavimentação segue em vigência, apesar de a empresa não estar no local. A previsão inicial era de que a obra fosse concluída em junho deste ano, mas com o atraso, o prazo terá que ser estendido. Alguns trechos que possuem a base imprimada serão recuperados.
Postagem: Paulinho da Mídia, o Javali do Herval.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

FAÇA PARTE DO BLOG, COMENTE, DÊ SUA OPINÃO.