quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Câmara aprova projeto para retomada das casas populares


Redator(a): Nivea Bilhalva
Nunca faltou esforço do Poder Executivo municipal para garantir o término da obra tão importante e aguardada, das 39 unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida, as quais se encontram paralisadas”. Com esta forte manifestação o prefeito Ildo Sallaberry demonstrou a preocupação de retomada das obras das moradias, solicitando à Câmara de Vereadores, através de Projeto de Lei, autorização para repassar contrapartida financeira ao banco cooperativo Sicredi S.A, o qual foi aprovado por unanimidade pelos vereadores.
O valor a ser repassado é de R$ 156 mil reais, distribuído em quatro parcelas, sendo que as despesas decorrentes desta Lei, sairão por conta de dotação orçamentária da Secretaria Municipal de Assistência Social.
De acordo com informações do secretário de Planejamento, Projetos e Meio Ambiente, Toninho Veleda, a empresa responsável, Comércio e Serviços de Construção Ltda – CEFAS – demonstrou não ter condições de concluir a obra com os recursos disponíveis originalmente, R$ 25 mil repassados pelo Ministério das Cidades e R$ 3 mil oriundos de contrapartida do Governo do Estado. “Em razão da defasagem desses valores decorrentes do grande intervalo de tempo transcorrido entre a assinatura inicial dos contratos e o início efetivo das obras; o aumento significativo do custo dos materiais da construção civil nos últimos meses; como também a necessidade de adequar o projeto a construção de telhados de fibrocimento às normativas do Minha Casa, Minha Vida, que determinam que as moradias recebam cobertura de telha cerâmica, é que tivemos este acréscimo de valores”, explica Toninho.
Conforme salienta Sallaberry, a administração pleiteou a pretendida complementação financeira junto ao Ministério das Cidades, porém o pedido foi negado. “Com um enorme esforço, em nome do interesse público e do alcance social, resolvemos oferecer a referida contrapartida financeira para assegurar a retomada da obra e sua conclusão até o final de março de 2016.”
A partir de agora o poder público municipal aguarda a retomada das obras, sendo que a prorrogação do prazo para a conclusão e entrega das moradias e a presente oferta de contrapartida financeira são exemplos inequívocos e contundentes desse fato.
Fonte:http://www.herval.rs.gov.br/c
Postagem:Paulinho da Mídia, o Javali do Herval.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

FAÇA PARTE DO BLOG, COMENTE, DÊ SUA OPINÃO.