sábado, 13 de fevereiro de 2016

OS SINTOMAS, SEMELHANÇAS,DIFERENÇAS E PREVENÇÕES CONTRA ZIKA, DENGUE E CHIKUNGUNYA.


Dengue

Doença: Dentre as três, é a mais conhecida e presente no Brasil. O país vive hoje uma epidemia da doença com 367,8 casos para cada 100 mil habitantes registrados até o dia 18 de abril.
Transmissão: O vírus da dengue é transmitido pela picada do mosquito aedes aegypti. 
Sintomas: Febre alta (geralmente dura de 2 a 7 dias), dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele. Nos casos graves, o doente também pode ter sangramentos (nariz, gengivas), dor abdominal, vômitos persistentes, sonolência, irritabilidade, hipotensão e tontura. Em casos extremos, a dengue pode matar - até 18 de abril foram registrados 229 óbitos.
Tratamento: A pessoa com sintomas da dengue deve procurar atendimento médico. As recomendações são ficar de repouso e ingerir bastante líquido. Não existem remédios contra a dengue. Caso apareçam os sintomas da versão mais grave da doença, é importante procurar um médico novamente.

Chikungunya

Doença: Até 18 de abril deste ano, foram registrados 1.688 casos de chikungunya. Os primeiros casos “nativos” da doença no Brasil apareceram em setembro do ano passado em Oiapoque, no Amapá. Antes disso, já haviam sido detectados casos de pessoas que contraíram a virose fora do país. A origem do nome chikungunya é africana e significa “aqueles que se dobram”. É uma referência à postura dos doentes, que andam curvados por sentirem dores fortes nas articulações.
Transmissão: É transmitida pelos mosquitos aedes aegypti (presente em áreas urbanas) e aedes albopictus (presente em áreas rurais).
Sintomas: O principal sintoma é a dor nas articulações de pés e mãos, que é mais intensa do que nos quadros de dengue. Além disso, também são sintomas febre repentina acima de 39 graus, dor de cabeça, dor nos músculos e manchas vermelhas na pele. Cerca de 30% dos casos não chegam a desenvolver sintomas. Segundo o Ministério da Saúde, as mortes são raras.
Tratamento: Como no caso da dengue, não há tratamento específico. É preciso ficar de repouso e consumir bastante líquido. Não é recomendado usar o ácido acetil salicílico (AAS) devido ao risco de hemorragia.

Zika

Doença: A doença pode ter sido detectada na Bahia, mas ainda não está confirmada. A suspeita é de que ela tenha sido trazida para o Brasil durante a Copa do Mundo.
Transmissão: Mais uma vez, o aedes aegypti é o vilão da história. Mas o vírus também é transmitido pelo aedes albopictus e outros tipos de aedes.
Sintomas: O vírus não é tão forte quanto o da dengue ou da chikungunya e os pacientes apresentam um quadro alérgico. Os sintomas, porém, são parecidos com os das doenças “primas”: febre, dores e manchas no corpo. Quem é infectado pelo zika também pode apresentar diarreia e sinais de conjuntivite.
Tratamento: Assim como nas outras viroses, o tratamento consiste em repouso, ingestão de líquidos e remédios que aliviem os sintomas e que não contenham AAS. 
Como prevenir-se do mosquito  Aedes Aegypti:

Causada pela picada do mosquito Aedes Aegypti, que se reproduz em qualquer ambiente que armazene água, a dengue causa febre alta, dores de cabeça, atrás dos olhos, no corpo e nas articulações, além de manchas vermelhas. Nos casos mais graves, como a dengue hemorrágica, somam-se a esses sintomas os sangramentos e choques.
De acordo com o Ministério da Saúde, o vírus possui quatro sorotipos e uma pessoa só fica imunizada contra o tipo específico pelo qual foi contaminada. Ou seja, quem já teve um tipo de dengue, pode contrair a doença outras vezes se for picada por mosquitos com tipos diferentes do vírus.
Como não existem vacinas ou medicamentos para combater a contaminação, a melhor forma de evitar a dengue continua sendo a eliminação de locais onde o mosquito possa se reproduzir. Veja alguns cuidados básicos de prevenção:
- Se sua casa tem uma caixa d'água, mantenha-a sempre fechada com a tampa adequada. E lave-a semanalmente com escovas e sabão.
- Os vasilhames de água dos animais de estimação também devem ser lavados semanalmente.
- O lixo deve ser sempre colocado em sacos plásticos e bem embalados. A lixeira deve ter tampa e ficar sempre fechada.
- Os vasos de plantas precisam ser bem cuidados para que a água não fique parada. A dica é colocá-los em pratinhos e encher de areia até a borda. Se tiver plantas aquáticas, a água deve ser trocada e o recipiente lavado uma vez na semana.
- Pneus velhos e garrafas vazias devem ficar em locais protegidos da chuva. As garrafas devem ser guardadas de cabeça para baixo.
- Nunca deixe água da chuva se acumular. Remova qualquer obstáculo, como folhas e galhos de árvore, que possam impedir que a água passe.

POSTAGEM:PAULINHO DA MÍDIA, O JAVALI DO HERVAL.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

FAÇA PARTE DO BLOG, COMENTE, DÊ SUA OPINÃO.