sexta-feira, 10 de junho de 2016

A INOCÊNCIA DO RACISMO INFANTIL NAS CRECHES E ESCOLAS.

Cirilo, personagem que sofre bullying em carrocel.

Meu enteado de 05 anos, que é negro, filho de mãe negra e pai mulato, nos contou arrasado que sua coleguinha em tom ofensivo o chamou de negro que toda a família dele é negra, e ele chorando nos contando como se negro fosse uma coisa ruim, com vergonha da sua cor, pois sentiu maldade na sua coleguinha branca de 05 anos.  Eu como negro que já passei por varias e incontáveis situações dessas, disse pra ele que ser negro é bom, quer ter uma família negra é muito legal e normal, botei vídeos no you tube explicando pra ele que o negro tem que orgulhar-se da sua cor. Minha esposa comentou com o professor dele, no polo de educação infantil (nova creche de Herval), que disse que chamou a menina e explicou que ela não deve fazer isso, que somos todos iguais mesmo sendo diferentes. 

 É nesta fase de 04,05,06 anos que se constrói a identidade e a personalidade de uma criança, é inadmissível  deixar uma criança se criar com complexo de inferioridade por ser negra e outra criança se criar achando que é supostamente da raça superior, que branco é mais que negro. Na minha opinião, chamar a criança em um canto e explicar somente para ela que isso não se faz, não é suficiente, pois só se soube desse fato porque isso chateou muito a criança ofendida, e quantas situações dessas acontecem sem ninguém saber? E sem ter a devida repressão. 

Já que estamos vivendo um novo momento de inclusão social, de aceitar as adversidades, teria que ter uma aula sobre isso para todos, que temos várias diferenças no mundo, tem o negro, o branco,o menino, a menina, o alto, o baixo, o gordinho, o pobre e o rico, e que temos que conviver em harmonia. Geralmente esse tipo de conversa com as crianças fica por conta dos pais em casa, mas o pai e mãe de uma criança que não faz parte do esteriótipo de sofrer bullying, dificilmente vai se interessar, pois não viveu, não passou por isso e provavelmente seu filho não vai passar também e daí não se importa.
 Falei para meu enteado que ser chamado de negro não é errado, pois realmente ele é negro, só é errado dependendo do tom e do adjetivo que acompanha, inclusive disse pra ele se te chamarem de negro bonito, é legal, se te chamarem de negro sujo, negro macaco, não é legal e é racismo. Não vejo um negro brabo ofender uma pessoa de branca suja, de branco FDP, a palavra branco(a) não é usada para ofender.

 A criança negra tem poucas referencias de personalidades famosas para se espelhar, principalmente na Tv, e acaba se espelhando no branco ou na branca famosa, mais isso é um tema para outra pauta.
Por:Paulinho da Mídia, o Javali do Herval.
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

FAÇA PARTE DO BLOG, COMENTE, DÊ SUA OPINÃO.